Login

Faça seu login e seja um usuário diferenciado.



cimento@cimento.org
Home

Disponibilizamos aos nossos internautas, o tradicional folheto, MÃOS À OBRA, desenvolvido e produzido sob orientação da ABCP - Associação Brasileira de Cimento Portland,  onde desenvolvemos o mesmo na versão on line, em html , ou para quem desejar imprimir, o folheto em  PDF. (BAIXAR O FOLHETO AQUI)

Lembre-se: Antes de construir ou reformar, procure  SEMPRE a Prefeitura de sua cidade e/ou o CREA, para obter mais informações a respeito.

 

Mãos à Obra - Versão HTMLMãos à Obra - Versão Online

 
CADE proibe divulgação de dados sobre venda de cimento
Sex, 11 de Julho de 2014 00:00

CADE proibe divulgaçãoO SNIC (Sindicato Nacional da Indústria do Cimento) divulgou nota sobre a nova decisão do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que passou a impedir a divulgação mensal dos resultados preliminares de venda de cimento no país. O órgão de defesa proibiu a coleta dos dados antes de transcorridos três meses e ainda estabeleceu que a publicação dos dados mais completos do setor só poderão ser divulgados, no mínimo, três meses após a realização da coleta, ou seja, seis meses após o evento.

Estranhamos a decisão do CADE, já que diversos setores, praticamente todos setores industriais do Brasil e do mundo reportam essas informações mensais, mesmo que preliminares e os dados divulgados são importantes indicadores do grau de atividade dos setores e da economia como um todo.  A indisponibilidade dessas informações também dificultará o trabalho de instituições, inclusive governamentais, bancos, universidades entre tantos outros setores que utilizavam os dados para estudos e tomada de decisões.

 
Lafarge e Holcim: Um grande quebra cabeça!
Qui, 10 de Julho de 2014 00:00

PARIS – As fabricantes de cimento Lafarge e Holcim propuseram nesta segunda-feira uma série de vendas de ativos em toda a Europa, incluindo todas as atividades da Holcim na França e as da Lafarge na Alemanha e Romênia, conforme buscam aprovação dos órgãos reguladores para sua fusão.

As duas empresas precisam se desfazer de cerca de 5 bilhões de euros (6,8 bilhões de dólares) em receita anual para ajudar a convencer reguladores antitruste a apoiar a fusão, que foi revelada em abril e que criará a maior fabricante de cimento do mundo, com 44 bilhões de dólares em vendas anuais.

 
Cimento em Maio 2014: Venda de cimento continua em queda.
Qua, 11 de Junho de 2014 00:00

Conforme anunciamos em outras matérias em nosso portal, as vendas de cimento em abril e agora em maio de 2014 foram menores em comparação com os meses análogos de 2013. Em abril elas foram quase 5% abaixo que o mesmo mês de 2013 e mesmo em maio, com bem menos feriados que abril, as vendas continuaram menores que aquelas realizadas no ano anterior em -0,7% (maio/13), forçando negativamente as vendas acumuladas do período que ainda estão superiores a 2013 em 2,8% (em março, por exemplo, elas estavam superiores ao mesmo trimestre de 2013 em 6,4%).

A tendência é de uma nova queda nos percentuais agora para junho/14, tanto pela parada nas obras para a copa , como pela realização do evento em si, que começa amanhã (12 de junho) e afetará a construção civil, entre outros segmentos que, de alguma forma já se beneficiaram com o evento.

 
Indústria do cimento brasileira é a mais ecoeficiente do mundo
Qua, 09 de Julho de 2014 00:00

Uso dos fornos de cimento para destruição de resíduos é um dos responsáveis pelo avanço

1024x768

De acordo com diretor de Tecnologia da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), Yushiro Kihara, o setor cimenteiro foi o segmento que mais destruiu pneus no ano de 2013 no Brasil. Foram coprocessados 58 milhões de unidades, que equivalem a 46.000 km. Se enfileirados, os pneus podem cobrir uma distância de mais de uma volta ao redor da Terra.

 
Cade condena cimenteiras a pagar R$3,1 bi em multas
Qua, 28 de Maio de 2014 22:30

Brasília - As maiores produtoras de cimento do Brasil foram condenadas nesta quarta-feira a vender ativos e a pagar multa bilionária em um julgamento do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que considerou que o grupo agiu contra a livre concorrência no país por pelo menos duas décadas.

O Cade, órgão de proteção à competição no país, entendeu que Votorantim Cimentos, Holcim, Cimpor e InterCement (do grupo Camargo Corrêa), Itabira Agro Industrial (do grupo João Santos) e Companhia de Cimentos Itambé combinaram preços, dividiram mercados e clientes e criaram impeditivos para a entrada de novos concorrentes no mercado de cimento.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 21

Busca no Site

Visitantes Online

Nós temos 134 visitantes online

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner